quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Últimas dicas para 2015 - Pedro Guardião

Já falamos aqui como será 2015 num sentido geral e agora veremos a influência pelo tarot. Somando os números 2+0+1+5, chegamos ao resultado “8” – O Arcano da Justiça. A mulher na imagem remete a harmonia e conciliação, a cor azul nos traz calma e ponderação, o trono é o poder de decisão, a espada símbolo máximo do elemento ar e do intelecto de tudo que é lógico e racional, a balança mostra os dois lados e também me lembra aquele dito popular "dois pesos e duas medidas".

A função deste Arcano é estabelecer a ordem através das leis, dar a cada um o que é devido, por isso lembre-se será um ano de exigir direitos sim, mas muito mais de deveres. Bom ano para quem tem processos trabalhistas, indenizações para receber, para quem está tentando se formar e para quem lida com o intelecto e leis.

Coloco algumas dicas mágicas para a virada do ano e desejo a todos um maravilhoso 2015!

As cores e seus significados:

- Branco: União de todas as cores. É a cor mais usada nesse dia. Representa a paz, pureza, otimismo, luz, equilíbrio, renovação e começo. Traz boas vibrações, vestir-se de branco, sugere transparência e serenidade. Bom para os signos de Câncer e Peixes.

- Amarelo: Simboliza o ouro, o sol, a riqueza, dinheiro, prosperidade, comunicação, amizades, alegria, inovação, sabedoria. Cor para os signos de Gêmeos, Leão e Virgem.

- Laranja: Cor da alegria, felicidade, prosperidade, criatividade, energia positiva e da expansão. Ajuda nas conquistas pessoais e profissionais, na busca pela inspiração e liberdade. Boa para os signos de Leão e Sagitário.

- Vermelho: Uma cor quente e forte. É a cor da paixão, seja por alguém ou pela vida; do desejo, vitalidade, amor, compaixão, sensualidade, coragem, autoconfiança, da decisão e do dinamismo. Cor para os signos de Áries e Escorpião.

- Rosa: A cor do romance, amor, harmonia, família, pureza, sentimentos, bondade, inocência. É ótima para os Librianos e para os Taurinos.

- Magenta: Simboliza a serenidade, ajuda o próximo, a entrega ao amor. Boa para Libra e Sagitário.

- Azul claro: É a cor da estabilidade, confiança, maturidade, tranquilidade, generosidade, lealdade, serenidade, paz de espírito e da vontade. Boa para Virgem e Touro.

- Azul índigo: Tem a energia do conhecimento, do poder, da liberdade, dos sonhos, da independência, visão ampliada, da vanguarda. Ideal para Aquário e Sagitário.

- Verde: Simboliza a natureza, saúde, verdade, justiça, fertilidade, recomeço, renovação e o conforto. Para os Taurinos, Capricornianos e Librianos.

- Dourado: Cor da prosperidade, abundância, riqueza, poder, da proteção, perfeição, da realeza e do conhecimento. Para os Leoninos e Sagitarianos.

- Prata: Tem como energia o feminino, os sentimentos, emoções, sensibilidade, a paz, versatilidade e limpeza interior. Para os signos de Peixes, Câncer e Aquário.

- Cinza: Cor neutra, que emite a vibração da estabilidade, generosidade, independência, autossuficiência, autocontrole e organização. É um escudo contra a influência externa. Boa para Capricornianos e Aquarianos.

- Marrom: Simboliza a estabilidade, seriedade, solidez, cautela, fertilidade, autovalorização, segurança, firmeza e confiança. Tem grande destaque nos acessórios. Boa para Capricornianos, Virginianos e Taurinos.

- Violeta: Cor da transmutação, espiritualidade, intuição, dignidade, equilíbrio e mistério. É boa para Peixes, Aquário e Sagitário.

- Preto: Simboliza o silêncio e, quando usado com brilhos, simboliza a nobreza.

Magias de ano novo:

Varredura

Primeiramente, faça no chão um círculo (utilize carvão) com mais ou menos 1,5 m de diâmetro. Em seguida, entre no círculo e com uma vassoura varra de dentro para fora tudo o que você não deseja mais: mágoa, tristeza, inimizades, inveja, desavenças. Respire fundo e saia do círculo lentamente. Lave a vassoura em água corrente. Acenda uma vela branca no centro do círculo e deixe-a queimar até o fim para que a chama ilumine seu caminho.

Para ter dinheiro o ano todo 

No primeiro dia do ano, pegue 20 cm de um tecido qualquer na cor verde e embrulhe nele três moedas de 1 real. Em seguida, enterre esse embrulho em um vaso onde esteja plantada uma muda da planta “dinheiro-em-penca”. Acenda uma vela amarela sobre um pires oferecendo-a a uma divindade solar e pingue três gotas da vela derretida na terra do vaso. Deixe a vela queimar até o fim e enterre seus restos no vaso também. Deixe o pacotinho com as moedas enterrado. A plantinha deve ser regada todos os dias com água. Cuide bem dela, pois será seu talismã da prosperidade.

Para atrair um amor

Pegue sete folhas de laranjeira, macere com algumas gotas de seu perfume favorito e uma colher de mel. Adicione 2 litros de água fervente, espere esfriar e banhe-se com o preparado. Ao final do banho macere pétalas de sete rosas vermelhas e jogue do pescoço para baixo, pedindo com fé que o amor verdadeiro apareça na sua vida. Tome um banho normalmente e não conte a ninguém que fez a magia. 

Fontes: Animarcano e BemZen

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Magias e 2015 - Pedro Guardião

Para a virada do ano civil podemos utilizar alguns métodos mágicos para que as melhores energias estejam conosco, uma espécie de “pontapé” positivo em 2015. Toda magia, nesses casos, deve trabalhar com um simbolismo forte e que represente aquilo que desejamos conquistar para o próximo ano. Fato é que, transformar desejos em realidade depende muito mais de nós mesmos do que atos simbólicos em si. Por isso, aproveite os últimos dias do ano para uma autoanálise que verifique como foi 2014 num sentido geral e profundo como conquistas, dificuldades, padrões, projetos, família, amor, saúde, entre outros. Somente depois de tomar consciência sobre nossos atos poderemos trabalhar a favor de boas mudanças. Durante esta última semana do ano postarei alguns processos rituais para começarmos mais um ciclo preparados para todas as situações que 2015 nos trará.

Uma pincelada sobre 2015 – O Ano de Marte

Marte é o deus romano da guerra, equivalente ao grego Ares. Filho de Juno e de Júpiter, é considerado o deus da guerra brutal, ao contrário da sua irmã Minerva, que representa a guerra justa e diplomática. Marte, apesar de bárbaro e cruel, tem o amor da deusa Vênus, que com ela teve dois filhos, Cupido e Harmonia, considerada mortal. O planeta Marte provavelmente recebeu este nome devido à sua cor vermelha, que por ser a cor do sangue ficou associado à violência e não ao amor, como foi traduzido na cultura popular com associação às rosas. Marte é agressivo, ousado, poderoso, destemido, competitivo, combativo e enérgico. Ele aciona esportes radicais, brigas, sexo, determinação e instintos. Quanto ao Brasil e ao Mundo de forma geral, Marte trará grandes impactos de mudanças. Sua força estará polarizada para a agressividade, até mesmo sua força determinadora. Em 2015 devemos ter cuidado com a ira e o ódio, pois o sentimento de vingança será mais explícito neste ano. Atenção com a precipitação e o julgamento desmedido, pois o Deus da Guerra junto com o seu irmão Urano, não tem tempo a perder. Atenção também com acidentes e
agressões! Sendo um planeta que traz o elemento fogo em vigor, devemos ficar atentos às armas de fogo, incêndios, todo tipo de combustível, instrumentos cortantes, violência e qualquer evento que gere acidentes com impactos drásticos. O impacto de Marte será forte e trará novas posturas para entender os processos que cada um de nós precisamos vivenciar. Com a chegada deste ano, estará próximo o tempo de mudar e deixar velhos padrões e preconceitos irem embora de uma vez. Será um ano maravilhoso para aqueles que estiverem abertos às mudanças e desejarem seguir suas vidas, se desprendendo de amarras e de situações sufocantes.

Aqui listo 2 banhos para purificação e energização por meio das ervas e cristais:

- Banho de Limpeza energética:
(Este banho também serve para a limpeza da casa)

Para 1 litro d’água:
1 punhado de Sálvia.
1 punhado de Alfazema.
1 ramo de Salsinha.
1 punhado de pétalas de Rosa Branca.
3 pedrinhas de Sal marinho.

Ferva a água em uma panela ou caldeirão e acrescente as ervas uma a uma e por último, o sal marinho. Desligue o fogo e com sua varinha ou dedo indicador e médio juntos, desenhe um pentagrama visualizando uma luz branca fortalecendo toda a infusão. Sele com três círculos e agradeça as energias das ervas ali utilizadas. Espere esfriar e tome o banho da cabeça para baixo após o banho habitual.

- Banho de energização e boa sorte:

Para 1 litro d’água:
1 punhado de Alecrim.
1 punhado de Manjericão.
1 punhado de Camomila.
1 punhado de Hortelã.
3 folhas de Louro.
1 quartzo Citrino.

Ferva a água em uma panela ou caldeirão e acrescente as ervas uma a uma e por último, o citrino. Com uma colher de pau ou uma lasca de canela, mexa a infusão por oito vezes, visualizando uma luz amarela/dourada preenchendo todo o conteúdo. Agradeça as energias das ervas utilizadas, do cristal e tome o banho ainda morno, da cabeça para baixo após o banho habitual.

Pedro Guardião 

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Dedicação e Iniciação – Por Pedro Guardião

Recentemente recebi muitas perguntas sobre dedicação e iniciação na Wicca, um assunto pouco abordado por aqui. Confesso que de 2 anos para cá tenho amadurecido muito os meus conceitos e minhas vivências dentro da religião. Um jovem sacerdote sempre têm muito a aprender e por isso reforço que, o período de dedicação deve ser exaustivo e talvez o tempo de 1 ano e 1 dia não seja o suficiente. Isso vai depender da capacidade de cada um e como conduzirá a sua dedicação, principalmente se o dedicado segue o caminho solitário. Para entender melhor, vamos definir os dois processos litúrgicos.

Dedicação: Momento em que o neófito escolhe conhecer intimamente a liturgia da religião e conscientemente entrega seu estilo de vida a Deusa e o Deus. É o período em que se estuda por meio de livros conceituados, escritos por outros sacerdotes, que se adquire os instrumentos mágicos, constrói o altar, realiza todos os rituais de lua (os Esbats e as demais fases), os Sabbats, ritos pessoais, fortalece a própria energia e a capacidade de lidar com os medos e com a ansiedade. É realizado um rito formal para o início desta fase, conhecido como “período das sombras”, dentro de uma tradição ou solitariamente. Concluído este período (perante avaliação de outro sacerdote ou autoavaliação), o dedicado está apto para exercer o sacerdócio.

Iniciação: Rito de passagem que torna o dedicado, oficialmente, um representante da religião/sacerdote. Dentro de tradições é recorrente ter, pelo menos, três graus até alcançar o Alto Sacerdócio. O primeiro consiste em vivenciar os mistérios, receber as bênçãos das divindades e marcar a morte da vida mundana para uma vida dedicada ao sagrado. O segundo é a elevação para tornar-se Alto Sacerdote ou Alta Sacerdotisa, vivenciando e dominando demais funções, como psiquismo, habilidades extra-sensoriais, entre outros. O terceiro consagra o Alto Sacerdócio, permitindo a fundação de um coven próprio e a função de iniciador.

Desta forma vemos que é um longo caminho de conhecimento, prática e vivência até chegar a decisão final de se iniciar. As pessoas precisam se conscientizar que iniciação não é status. É compromisso! A Wicca é uma religião muito bonita, aberta, mas nem todo mundo está preparado para seguir este caminho. O que muitos não sabem ou simplesmente não acham possível é seguir a Wicca como filosofia para fortalecimento espiritual, participando de rituais ou executando seus próprios sem a necessidade da iniciação em si (claro, mantendo a base de estudos, da sabedoria do que se está fazendo e não se autointitulando bruxo). Alguns podem não concordar com isso, mas é possível sim.

Então, se você tem real interesse em se dedicar, passar por todo o processo (que não é fácil, posso dizer com toda propriedade) e tornar-se um sacerdote/sacerdotisa, procure sempre boas referências, conhecer uma tradição séria da qual você se identifique – não participe de uma tradição só porque amigos estejam nela. Conheça de verdade se aquela tradição supre as suas necessidades espirituais ou o seu gosto pessoal – e vá em frente! Os deuses sempre abençoam seus filhos com o coração determinado. No Brasil temos diversas tradições interessantes e bastante sérias, mas se você não se identifica com nenhuma delas, acredite em si mesmo e trilhe seu caminho solitariamente. Ele, com toda certeza é válido e ricamente poderoso independente de um nome por trás ou não.


Pedro Guardião 

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Previsões 2015 com as Deusas - Pedro Guardião

Dezembro chegou tão rápido e já é hora de dar adeus à 2014. Muitas coisas aconteceram neste ano que, se bem aproveitado, tenho certeza que foi de grandes recompensas. Afinal, Júpiter é o planeta da expansão e da prosperidade e quando não ficamos apenas nas "promessas de fim de ano", as coisas tendem a acontecer ao nosso favor. Para mim, 2014 foi um ano de boas gratificações: a conclusão da minha faculdade de jornalismo, boas notícias no trabalho, conhecer sacerdotisas renomadas como Sorita d'Este, Deborah Lipp e Zsuzsanna Budapest, aprender sobre novos caminhos, entre outros. Nem tudo é perfeito e é claro que surgiram alguns obstáculos no caminho, mas que foram pequenos perto de grandes contentamentos da alma. Posso dizer que fui abençoado neste ano que passou. Sabe porque? Pois escolhi que fosse assim! Se determinarmos a nós mesmos a vitória de nossa trajetória, não há problema que possa sucumbi-la.

2015 vem nos falar exatamente sobre isto, pois é o ano de Marte, ano dos começos, da intensidade, excessos e também das vitórias. Devemos tomar cuidado no primeiro semestre com os impulsos, pois teremos uma configuração de Urano em Áries e Júpiter em Leão, onde o elemento fogo irá se sobressair. Já no segundo semestre, Júpiter sai de Leão e migra para Virgem, onde as coisas tenderão a se acalmar e também os problemas se resolver. Todas as forças de vontade, ação, disciplina e trabalho serão necessárias para que 2015 seja um ano de oportunidades e soluções. Caso não haja cautela, brigas e discussões serão frequentes, pois Marte é o deus das batalhas. Atenção redobrada com violências gratuitas! O amor também estará em alta, junto às paixões e sexualidade. Então espere agitos afetivos, sem dúvidas.

Este ano colaborei com a revista Previsões 2015 para o amor, dinheiro, saúde, proteção, sorte, da Editora Escala, a convite da bruxa e escritora Eddie Van Feu. Fiz uma matéria sobre as Mensagens do Tarot das Deusas para 2015 e ficou muito interessante. Quando fiz a tiragem e anotei tudo, fiquei surpreso nas boas notícias que nos esperam para o próximo ano, ainda mais com deusas tão intensas que saíram para as regências do mês a mês. Então, espero que seja de grande valia para você, caso tenha interesse em adquirir e se precaver para um 2015 abençoado pelas Deusas. Além disso, as outras matérias estão muito interessantes e que sempre colaboram para um ano sábio e próspero. A revista está nas bancas de todo o Brasil, mas quem quiser adquirir pelo site da editora, segue o link: http://www.escala.com.br/Previsoes-para-o-Amor-Ed--01/p

Farei algumas postagens com magias e dicas para 2015 no decorrer de dezembro. Até a próxima postagem!

Bênçãos plenas,

Pedro Guardião

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Almanaque Wicca 2015 - Pedro Guardião

Olá, pessoal! Como estão? Chegou nas bancas como de costume no mês de outubro o Almanaque Wicca da Editora Pensamento para 2015. Inicio minhas considerações pela capa, que está belíssima, lembrando os antigos livros norte-americanos como o "Encyclopedia of Wicca in the Kitchen" de Scott Cuningham. Percebo que neste ano o conteúdo do almanaque está mais sério, levando as pessoas a pensarem e refletirem sobre a religião em si. Não que as edições anteriores não fizessem este papel, mas os assuntos discutidos neste, com diversas colaborações brasileiras enriqueceu o conteúdo. Logo de início temos um texto bem legal da Sacerdotisa Naelyan Wyvern sobre como viver a magia 24h por dia, algo que muitos pensam ser inviável, mas que definitivamente não é. Também encontramos várias receitas de poções, alguns rituais interessantes e encantamentos.

Temos um compilado de depoimentos sobre as práticas de Wicca no Brasil com várias referências já conhecidas do meio pagão. Algo inédito! O calendário dispensa comentários, sempre muito útil e fácil de entender com os dias da semana, fases da lua, signo lunar, referências de cores, incensos e comemorações.

Algo polemizou um tanto, uma matéria sobre Anjos da bruxa e escritora Eddie Van Feu. Na minha sincera opinião achei super válida tomando como referência a Tradicional Witcraft, que muitos não sabem, mas que encara estes seres como além das figuras cristãs que estamos acostumados a ver. Tudo é uma base de estudos e de caminhos, cada um escolhe o seu e a informação é acessível para todos.

Aqui listo alguns dos temas que eu mais gostei desta edição:


- Autossabotagem: quando você é o seu pior inimigo.
- Técnica para criação de seres astrais.
- Magia egípcia e wicca.
- O medo, a vibração mais baixa do mundo.
- Prática wiccana entre brasileiros.


E para encerrar, uma prece do final do livro, já tradicional em toda edição:

Prece para a Autoestima

Hathor, Deusa compassiva
eu te peço, dê-me beleza
e graça interior e exterior
abençoe-me com poder
desperte a minha joia interior
de paixão e prazer
confira-me a visão do sagrado amor
por mim mesma.

Quem quiser adquirir, o valor é R$ 9,90 em todas as bancas do País. Para quem preferir comprar na internet, segue o link: http://www.pensamento-cultrix.com.br/almanaquewicca2015guiademagiaeespiritualidade,product,977-198-184-615-4,125.aspx

Pedro Guardião

domingo, 19 de outubro de 2014

Fazendo o Mastro de Beltane - Pedro Guardião

O Maypole é um dos símbolos mais conhecidos de Beltane. Ele representa a união do Deus (o Mastro) e da Deusa (coroa de flores no topo). Tradicionalmente é enfeitado com fitas multicoloridas, entrelaçadas ao mastro durante uma dança, representando o enlace da Deusa com o Deus. Durante o entrelace das fitas tecemos a teia da nossa vida, mentalizando nossos desejos, fazendo nossos pedidos e projetando nosso futuro ao Universo.

Outro belo e antigo costume associado com esse festival era o “Bringing in the May”. Os jovens das vilas e cidades iam até as florestas à meia-noite de Beltane para colher flores. Quando retornavam para a sua vila, paravam em cada casa e presenteavam seus moradores com as flores; então recebiam as melhores comidas e bebidas que os anfitriões podiam oferecer. Isto trazia boa sorte para os donos da casa e era um ato generoso que representava a bondade da Terra nessa época do ano.

Para saber mais sobre o Sabbat de Beltane,
clique aqui.

Atividades:
- Pular a fogueira de Beltane;
- Guardar as cinzas da Fogueira de Beltane para utilizar em encantamentos de fertilidade, para abençoar objetos e pessoas;
- Dançar em volta do Mastro de Beltane;
- Colher as primeiras ervas da estação;
- Fazer um piquenique com a família;
- Lavar a face no orvalho da manhã de Beltane. Segundo as Tradições desse Sabbat, isso traz beleza para quem o faz;
- Fazer máscaras com folhas para representar o Green Man;
- Colocar uma tira de tecido em uma árvore fazendo um pedido ao Povo das Fadas. Usar tiras nas cores: laranja para prosperidade, rosa para amor, verde para abundância, amarela para cura, vermelha para proteção, preto para afastar o mal;
- Fazer uma oferenda ao Povo das Fadas;
- Fazer guirlandas para serem usadas na cabeça como coroas. As das mulheres são feitas com flores multicoloridas e as dos homens com folhagens verdes;
- Fazer um pacote de Beltane, com madeiras, para ser queimado;

- Levar uma oferenda das flores ao Espírito da Primavera em um rio ou uma cachoeira.

Para fazer o Mastro de Beltane você vai precisar de:

- Um tronco fino de uma árvore com mais ou menos 2 metros de altura;
- Fitas multicoloridas, com 10 cm de largura, na mesma quantidade de participantes da cerimônia;
- Pregos e martelo;
- Uma coroa de flores coloridas.

Comece a pregar as fitas em uma das extremidades do tronco. Posicione a coroa de flores na extremidade que você pregou as fitas de modo que os pregos sejam ocultados pelas flores. Prenda as fitas no tronco com um elástico para que elas não embaracem. Então, na sua cerimônia de Sabbat, erga o Mastro de forma ritualística. Para isso proceda da seguinte forma: Num dado momento de sua cerimônia, as mulheres começam a cavar um buraco no solo, para que o mastro seja fixado. Os homens presentes à cerimônia dão três voltas ao redor do Círculo Mágico, sempre no sentido horário, enquanto dos cantam:

Beltane, Beltane, Beltane que chegou.
É o Sabbat da fertilidade e do amor.

Ao final da terceira volta, as fitas são soltas e o mastro fixado no buraco cavado pelas mulheres. Começa então o entrelaçamento das fitas enquanto o cântico continua. Ao final do entrelaçamento, o mastro é retirado do buraco. Todos seguram o tronco entrelaçado, dando várias voltas juntos pelo Círculo, enquanto continuam cantando:


Beltane, Beltane, Beltane que chegou.
É o Sabbat da fertilidade e do amor.

O Mastro é levado até a fogueira e depositado nas chamas. A festa continua e os participantes prosseguem cantando cânticos sagrados e dançando em volta da Fogueira de Beltane.


Observação: Essa descrição se aplica a um, ritual feito com muitas pessoas e ao ar livre. A confecção, o erguer do Mastro de Beltane em locais fechados e seu uso em rituais solitários podem ser adaptados. Um pequeno Mastro simbólico pode ser feito com gravetos e pequenas fitas de cetim e queimado no interior de um caldeirão ao fim da cerimônia. Use sua criatividade e intuição sempre.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Resenha – A Magia de Hécate

Esta é a volta das resenhas dos livros de Wicca, Magia e Religião que eu li nos últimos tempos e que considero importantes para o meio pagão. Nada melhor do que recomeçar com Hécate.
O livro publicado pela Madras Editora e escrito pelos fundadores da TCS (Tradição Caminhos das Sombras) Dylan Siegel e Naelyan Wyvern aborda pela primeira vez um conteúdo exclusivo à titânide da magia tão celebrada entre os bruxos do mundo.

A obra traz uma visão nova do culto de Hécate na bruxaria e sua adaptação para a liturgia wiccana, o que a torna a figura central dos mistérios vivenciados na religião. Eu cheguei a ouvir várias opiniões, algumas certamente polêmicas, mas até o momento ninguém o julgou como um livro ruim. Particularmente eu achei muito interessante pela iniciativa dos autores em divulgar um assunto ainda restrito na literatura pagã nacional e por explorar tão bem os domínios da deusa. Os que não tinham acesso aos livros em inglês, pouco podiam se basear em pesquisas na internet que, na maioria das vezes, eram muito vagas.

Dylan e Naelyan proporcionam um conteúdo prático forte e permeiam entre históricos, símbolos e a própria experiência do que escrevem. Eu considero que o livro poderia ter um pouco mais do conteúdo mitológico grego, mas não interfere na proposta que é conhecer a deusa em seu íntimo. Também vai de cada um conhecer um pouco mais do que foi/é Hécate em seus hinos e epítetos, facilmente encontrados na web.

O que mais me chamou a atenção foi o desmistificar de como a deusa era vista somente pelo seu lado sombrio e negro, e que agora podemos ver Hécate também de diferentes maneiras, muito além dessas configurações. Quem diria que poderíamos honrar Hécate em todos os sabás? Pois bem, o livro mostra que isto é muito possível. Basta determinação e fazer uma escolha. Vem mostrar que se podemos com Hécate, podemos com todas as deusas. Óbvio, com amplo conhecimento e vivência como os sacerdotes da tradição tiveram.

Abordam sobre suas oferendas, instrumentos e invocações próprias do culto na forma dos esbás, proporcionando mais uma vez uma roda completa, entre meditações e experiências no plano físico e astral. Vale muito a pena adquirir e ler esta obra, que com certeza ficará como referência por muitos anos nas prateleiras dos neopagãos.

No Início de Tudo, Hécate Fala:

Quando o Universo atravessou os umbrais da existência
Em um fogo cósmico brilhante como um raio
Eu, Hécate, testemunhei o primeiro nascimento
Eu, Hécate, observava de soslaio
Enquanto a escuridão se tornava formamento
Enquanto “O Nada” paria “O Tudo”, que ainda haveria de ser
Eu existi entre os dois, caótica, poderosa, potente
Sol e Lua, Terra e céus, Hades e o Olimpo ainda a nascer
Existo no entremundos, no crepúsculo, e no Sol poente
Sou o sopro que deixa seus pulmões vazios
Sou o grito desesperado do recém-nascido
Moro na juras de amor sussuradas ao ouvido
E nas lágrimas da verdade, ricas em sal
Pois sou a zona cinzenta entre o bem e mal
Ah... mas o que se criou há de se destruir
Tudo é cinza, e reino absoluta. Não há mal ou bem
Meu é o reino que não tem Rainha ou Rei
Meu é tudo o que não pertence a ninguém
Como portadora da chave, eu permaneci e permanecerei
E quando o Universo deixar de existir, aqui estarei.


- Retirado da página 15 do livro A Magia de Hécate – Uma Roda do Ano com a Rainha das Bruxas.

Pedro Guardião

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Sobre contatos - Pedro Guardião


Olá, pessoal! 

Vasculhando algumas coisas em minha página do facebook vi que muitas mensagens e solicitações de amizade estavam ocultas (não entendi muito bem o motivo), mensagens de pessoas que em 2012 e 2013 tentaram contato e mandaram perguntas. Respondi todo mundo agora, mas muita coisa se perde nesse tempo e alguns podem achar que não respondi por outros motivos, mas realmente não tinha conhecimento que isso acontecia. Agora já me certifiquei e vou olhar sempre as mensagens ocultas no facebook. Porém, deixo na minha descrição aqui do lado esquerdo do blog o meu e-mail, para que perguntas sejam enviadas, dúvidas, entre outras questões. Mas você também tem a possibilidade de enviar um recado no mural que sempre fico de olho, só não respondo coisas que não estão no contexto ou na proposta do blog. Também há o meu Ask.fm para que perguntas sejam enviadas, criei recentemente para isso.

Desculpe a todos que tentaram contato e eu não pude responder. Agora todos já sabem, qualquer dúvida ou contato, mandem e-mail para: pedro.mistico@outlook.com ou pedro.mistico@gmail.com. Sempre respondo.

Estou pensando em novas possibilidades para o blog, uma pequena reformulação que será bastante interessante para todos vocês. Em breve! Mandem também suas sugestões de tema, melhora, para que o blog fique sempre atualizado e aprimorado para a leitura de todos. Temos leitores em todas as partes do Brasil e também dos Estados Unidos, Inglaterra, Europa e Ásia e isso é muito gratificante. Nem sempre consigo atualizar, por uma questão básica: Somente eu acesso o blog e com as questões de trabalho e faculdade, às vezes, não dá tempo. Mas estou me policiando para manter sempre algo interessante para vocês.

Agora que já sabem, fiquem ligados! E podem mandar sempre suas solicitações de amizade e perguntas.

Agradeço, de coração, a todos que acompanham o Wicca Online!

Blessed Be.

Pedro Guardião

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Ervas, Flores e os Deuses - Pedro Guardião


ACÁCIA:
 Buda, Neith e Osíris.

ACÔNITO: Hécate e Medeia.
PITEIRA: Mayauel.
ERVA-FÉRREA: Hércules.
ANÉMONA: Adonis e Afrodite.
ANGÉLICA: Atlantis e Michael.
ANIS: Apolo e Mercúrio.
ÁSTER: Todos os deuses e deusas pagãos.
AZALÉIA: Hécate.
CEVADA: Odin.
MANJERICÃO: Erzulie, Krishna, Lakshmi e Vishnu.
BELADONA: Atropos, Bellona, Circe e Hécate.
BENJOIM: Afrodite e Mut.
ABRUNHEIRO: A Deusa Tripla no Seu aspecto escuro e protetor.
GIESTA: Blodeuwedd.
CANDELÁRIA: Afrodite e Hermes.
AMENTILHO: Bast e Sekhmet.
CENTÁUREA-MENOR: O centauro Quíron.
CAMOMILA: Kamayna.
TUSSILAGEM: Epona.
CENTÁUREA AZUL: Flora, e associada aos mitos de Cyanus e Quíron.
PRÍMULA: Freya.
CROCOS: Afrodite.
NARCISO: Prosérpina.
MARGARIDA: Ártemis, Belides, Freya, Thor, Vênus, Zeus e associada a Maria Madalena, São João e Santa Margarida da Etióquia.
DENTE-DE-LEÃO: Erigida.
DICTAMO: Diana, Osíris e Perséfone.
CORNISO: Consus.
ÊNULA: Helena.
EUFRÁSIA: Eufrosina.
FUNCHO: Adonis.
FENO GREGO: Apolo.
FETOS: Kupala.
LINHO: Hulda.
ALHO: Hécate e Hades.
ESPINHEIRO: Hymen.
URZE: Ísis e Vênus Ericina.
HELIOTROPO: Apolo, Hélio, Rá e todos os Deuses Solares.
AZEVINHO: Mãe Holie e o Deus Chifrudo nos seus aspectos minguantes do ano.
MARROIO BRANCO: Hórus.
SEMPRE-VIVA DOS TELHADOS: Júpiter e Thor.
JACINTO: Apolo, Ártemis e Jacinto.
ÍRIS: Hera, Hórus, Íris e Ísis. 

HERA: Attis, Baco, Dionísio, Dusares e Osíris.
JASMIM: Diana, Vênus.
ESTRAMÔNIO: Apolo, Chingichnich e Kwawar.
ALQUEMILA (espécie de orquídea): Várias Deusas da Terra e associada a Virgem Maria dos mitos cristãos.
LAVANDA: Hécate, Saturno e Vesta.
ALFACE: Adonis.
LÍRIO: Astarte, Hera, Juno, Lilith e Ostara.
LISIMÁQUIA: Kupala.
LÓTUS: Brahma, Buda, Cunti, Hermes, Hórus, Ísis, Juno, Kuan-Yin, Lakshmi, Osíris, Padma, Tara e associado ao mito de Lote e Priapo.
FETO DA AVENCA CABELO-DE-VÊNUS: Dis, Kupala e Vênus.
MANDRÁGORA: Afrodite, Diana, Hécate, Saturno e associada a Circe e à lendária feiticeira teutônica Virgem Airauna.
MALMEQUER: Xochiquitzal.
MANJERONA: Afrodite.
MENTA: Dis, Hécate, Mintha e associada à lenda clássica da ninfa Menthe.
VISCO: Júpiter, Odin, Zeus e associado aos mitos de Balder e Eneas.
ACÔNITO: Hécate e associado a Cérbero.
LUNÁRIA: Aah, Ártemis, Diana, Hina, Selene, Sin, Thoth e todas as deidades lunares.
MUSGO: Tapio.
AGRIPALMA: Gaia, Pachamama e várias figuras de Deusas Mãe.
ARTEMÍSIA: Ártemis, Diana e associada à lenda medieval de João Batista.
AMOREIRA: Minerva e associada à lenda clássica dos amantes babilónios, Piramus e Thisbe.
VERBASCO: Circe e Ulisses.
NARCISO: Dis, Hades, Narciso, Perséfone e Vênus.
ORQUÍDEA: Baco e Orchis.
RAIZ DE ÍRIS: Afrodite, Hera, Ísis e Osíris.
VIMEIRO: Hécate.
SALSA: Perséfone, Afrodite e associada à morte e ao diabo dos mitos cristãos.
PEÔNIA: Associada à lenda de Peônio.
POEJO: Deméter.
HORTELÃ-PIMENTA: Zeus.
PERVINCA: Afrodite.
PAPOULA: Ceres, Diana e Perséfone.
PRÍMULA: Freya e Paralisos.
BELDROEGA: Hermes.
FRAMBOESA: Vênus.
BAMBUS: Inanna e Pã.
ROSA: Afrodite, Aurora, Chioris, Cupido, Deméter, Érato, Eros, Flora, Freya, Hathor, Holda, Ísis e associada à Virgem Maria dos mitos cristãos.
ARRUDA: Hécate, Hades e Ares.
JUNCOS: Acis
CENTEIO: Ceres.
SÁLVIA: Consus e Zeus. 

SÂNDALO: Kali, Vênus.
PIMPINELA BRANCA: Kupala. 

TREVO: Trefuilngid Tre-Eochair.
SELO-DE-SALOMÃO: Vor e associado ao lendário rei Salomão, de Israel.
MORANGO: Freya, Afrodite e Hathor.
CANA-DE-AÇÚCAR: Cupido, Eros e Kama.
GIRASSOL: Apolo, Rá e Deméter.
ATANÁSIA: Associada à Virgem Maria e à lenda clássica de Ganimede.
ESTRAGÃO: Lilith.
TRIFÓLIO: Olwen.
VERBENA: Ísis, Diana, Hermes, Cerridwen, Deméter, Júpiter, Perséfone e Thor.
VIOLETA: Afrodite, Attis, Zeus e associada à Virgem Maria.
NENÚFAR: Surya e todas as ninfas aquáticas.
AZEDINHA: Todas as Deusas Triplas e associada a São Patrício.
ABSINTO: Ártemis, Diana, a Grande Mãe e todas as ninfas pagãs da Rússia.
MILEFÓLIO: O Deus Chifrudo dos Bruxos e associado ao herói grego Aquiles.

terça-feira, 29 de julho de 2014

A Deusa Brighid - Pedro Guardião

Gostaria de esclarecer inicialmente que na mitologia celta, não existem deuses lunares ou solares, o que existe é deidades protetoras de certas artes. Os deuses celtas são uma raça divina, uma série de indivíduos divinos e portadores de variadas capacidades e conhecimentos, mas que se comportam como os mortais e vivem junto com eles. Podemos encontrar grandes arquétipos à nos encorajar e alguns destes personagens são míticos, reis, druidas e heróis. Brighid, que significa "luminosa" é uma Deusa tríplice do fogo da inspiração, da ferraria, da poesia, da cura e da adivinhação. Isto é, as funções que lhe atribuem são triplas, correspondentes às três classes da sociedade indo-europeia:

- Deusa da inspiração e da poesia - Classe Sacerdotal.
- Protetora dos reis e dos guerreiros - Classe Guerreira
- Deusa das técnicas - Classe de artesãos, pastores e agricultores.

A lenda diz que ela nasceu com uma chama que saía do alto de sua cabeça, ligando-a com o universo.
Pesquisando fontes mitológicas remotas, encontramos Brighid como sendo filha de Dagda, o Bom Deus, pertencendo assim, aos Tuatha De Danann. Há lendas que alegam ser ela a esposa de Tuireann, com quem teve três filhos (Brian, Iuchar e Iucharba), que posteriormente matam Cían, o pai de Lugh. Já outra lenda, nos diz que Brighid tinha como marido Bres, o malfadado líder dos Tuatha De Danann. Dessa união nasce Rúadan, o qual morre em combate na Segunda Batalha de Moytura. Ao encontrá-lo sem vida, lamenta sua morte em uma tradição que viria a ser conhecida como "keening) (irlandês-caoineach), e que ainda hoje é preservada nas áreas rurais da Irlanda. os "keenings' eram lamentos emitidos por mulheres face ao falecimento de um membro da família ou da comunidade. Se constituíam em choros pungentes, quase bestiais, descritos por observadores como o som de "um grande número de demônios infernais". 

A Nova Cristã e Antiga Pagã, Brighid, fundiram-se na figura de Santa Brígida no ano de 450. Em algumas histórias, foi o próprio São Patrício que a batizou e ela foi elevada à condição da figura galesa de Maria, sendo muitas vezes considerada como a parteira de Maria ou até como a ama do Menino Jesus. Aqui reconhecemos a deusa como protetora do parto. E, Brighid como santa, possui até biografia, que é de autoria de Cogitosus. Segundo ele, ela teria nascido em 452, no vilarejo de Faughart (próximo a Dundalk, Co. Lough), ao romper da aurora, hora de máxima importância para a filosofia celta. Era filha do nobre Dubhtach, chfe da Província de Leinster, e Broicsech, uma escrava. Em uma das versões da lenda, conta-se que, ao nascer, a casa em que estava ficou totalmente envolta por um fogo mágico, que assustou à todos que presenciaram à cena. Entretanto, ninguém queimou-se. Vários textos afirmam que tal fogo surgiu do centro da cabeça da criança, talvez para identificá-la como uma santa portadora de um poder criador.

Brigida foi educada por um druida e desde muito cedo manifestou o dom da profecia. Mas certo dia ela adoece gravemente e, o druida consegue salvá-la alimentando-a com o leite de uma vaca branca de orelhas vermelhas.
Os cristãos, gerando uma estranha contradição, afirmam que apesar de muito bela, Brigida permanece virgem. Contam, que para não casar, ela vasou seu próprio olho, tornando-se desinteressante para seus pretendentes.
Cogitosus nos esclarece, que no ano de 490, ela funda um convento na localidade de Kildare, local de perigrinação dos seguidores da religião celta pré-cristã.
Neste convento havia uma chama sagrada que devia sempre arder. Dezenove sacerdotisas-freiras guardavam a sua pira sagrada, alimentando o fogo. Conta-se que, no vigésimo dia de cada mês, ela aparece e vigia o fogo pessoalmente. Aos homens não eram permitida a entrada. Segundo as lendas, aqueles que tentassem se aproximar da fogueira eram acometidos de estranhos surtos de loucura e podiam até perder a vida.
Além de estar diretamente ligada ao elemento fogo, associa-se também a água e à cura. Muitas fontes da Irlanda são a ela dedicadas. A absorção deste elemento pela fé cristã, só comprova a sobrevivência de Brighid, na forma de deusa e não tão somente como santa.
Suas vacas produziam um lago de leite e proporcionavam alimentos inesgotáveis. Mas ela punia com muito rigor quem as roubasse, geralmente através de afogamento ou escaldamento. Através da magia, Brigida multiplicava anualmente a sua produção de manteiga. Ela também estava ligada à produção e consumo da cerveja. Reza a lenda que, com uma só medida de malte, Brígida era capaz de produzir cerveja a todos os que a pedissem. Um milagre associado à Cristo, aqui vemos adaptado à realidade celta. A "Vita Brigitae" afirma que a Santa Brigida morreu em 1 de fevereiro de 525, dia de celebração da Deusa Brighid.

DIA DE BRIGHID - "IMBOLC"

BRIGID também foi vista como uma deusa ligada ao ciclo anual. Ela presidia o começo da primavera, que, no ciclo dos antigos festivais do fogo, começava na véspera de primeiro de fevereiro, Imbolc, ou o Dia de Brigid.
A palavra Imbolc significa literalmente "dentro do ventre" (da Mãe). A semente que foi plantada no Solstício de Inverno está se desenvolvendo. Esta festa é chamada de "Dia de Brigid" em honra a Deusa irlandesa Brigid.
Suas festas eram repletas de fogos sagrados, simbolizando o fogo do nascimento e da cura, o fogo da força e o fogo da inspiração poética. Brigid é a noiva sagrada, e seu templo é o santuário do fogo divino, o qual representa o fogo do sol. Seguindo a tradição celta, deixe o fogo de sua lareira queimar completamente na véspera do dia de Brigid. Na manhã seguinte, prepare uma fogueira com cuidado especial. Pegue nove (ou sete) pequenos galhos, tradicionalmente de tipos diferentes de árvores e os acenda. Então, prepare a fogueira com os galhos acesos, enquanto decama três vezes:

Brigid, Brigid, Brigid, a chama mais brilhante! 
Brigid, Brigid, Brigid, nome sagrado!

Um outro costume do dia de Brigid é plantar uma árvore frutífera. A Igreja incorporou este o dia de Brigid como sendo a Festa da Purificação da Virgem Maria. No paganismo esta é a época em que a Grande Mãe volta a ser novamente a Jovem Deusa Solteira. Uma lenda escocesa, relaciona Brighid com Caileach. Esta última, era também conhecida como a Carline ou Mag-Moullach e era o aspecto da velha deusa no ciclo anual. Estava ligada às trevas e ao frio do inverno e assumia a direção no ciclo das estações em Samhaim, a véspera do primeiro de novembro. Ela portava o bastão negro do inverno e castigava a terra com frias forças contrativas que ressecavam a vegetação. Com o fim do inverno, ela passava o bastão do poder para Brighid, em cujas mãos ele se tornava um bastão branco que estimulava a germinação das sementes plantadas na terra negra. As forças expansivas da natureza começavam então a se manifestar. Por vezes, essas duas deusas eram retratadas em batalha pelo controle das forças da natureza. Dizia-se até que Cailleach aprisionava Brighid sob as montanhas no inverno. Mas o melhor modo de reconhecê-las é vê-las e considerá-las como duas facetas de uma deusa tríplice das estações: a Velha Cailleach do Inverno, a Donzela Brighid da Primavera e a Mãe-deusa do viço do Verão e da frutificação do Outono.


No Festival de Imbolc é costume, no final da tarde de véspera, se colocar velas (laranja), em todas as janelas da casa e deixá-las acesas até o amanhecer. Também deve anteceder às festividades, um ritual de purificação e limpeza da casa. A celebração também envolvia a feitura de uma Boneca Noiva com as últimas gavelas de milho do ano anterior. Podemos conceber aqui a deusa Brigid com atributos da deusa do milho. Por meio do ciclo dos Festivais do Fogo (Samhain, Imbolc, Beltane e Lammas), os antigos povos celtas celebravam as diferentes energias da roda do ano. Isso era vivido especialmente como o poder do fogo manifestando-se em diferentes níveis.

Brigid chega em nossas vidas portando a chama da inspiração. Você está sem energia? Falta-lhe motivação? Está tão perdido que não sabe que rumo tomar? Você sonha com algo, mas não se sente com coragem de realizá-lo? Esta é a hora e a vez de alimentar sua totalidade e interioridade com a centelha energética da Deusa Brigid. Ela nos diz que uma vida sem o calor de sua chama de inspiração é totalmente insípida. Abra seu coração e permita que a inspiração seja o alimento de sua alma, para que você possa se tornar mais segura(o) e energética.

Fonte: Rosane Volpatto

Vídeos Wicca & Bruxaria

Loading...