terça-feira, 25 de maio de 2010

Dragões em Magia - Pedro Guardião

Para deixar melhor esclarecido, a tradição ou a prática de magia com Dragões, não tem raízes wiccanas e nem pertence às suas práticas. Mas como este blog é um local para conhecimentos amplos, estarei publicando sobre este tema tão interessante e rico!
Esta é uma egrégra muito poderosa, que somente é praticada e estudada por pessoas que têm este tipo de conhecimento e que são aceitas por eles.
No Brasil, este tipo de sabedoria é rara! Não há livros brasileiros que tratam do assunto, a não ser sobre mitologias ou lendas. Encontramos livros importados, porém de difícil acesso, pelo preço e pela língua escrita. Nenhum foi traduzido ainda!
Temos a felicidade desta egrégora estar voltando aos poucos e chegando pelos lugares certos e pessoas certas.
Então vamos conhecer um pouco mais sobre ela:

Dragões são seres que habitam um dos muitos planos astrais com os quais temos contato e que tocam nosso mundo de alguma maneira. Se os Dragões alguma vez tiveram existência física
neste plano é algo que não se pode afirmar, mas a universidade das lendas e mitos sobre esses seres nos leva a deduzir que eles fazem visitas freqüentes ao nosso plano desde a aurora da humanidade.
Existe uma lenda segundo qual, quando os Dragões encontraram o ser humano pela primeira vez, ainda nos primórdios da espécie humana, em sua sabedoria, eles decidiram cuidar da criança que nascia, essa nova espécie, a fim de ajudá-la a se desenvolver. Mas os seres humanos se mostraram tão cruéis uns com os outros que os Dragões começaram a achar que não valia a pena cuidar da humanidade e por isso foram se retirando mais e mais para seu próprio plano, até não serem mais avistados neste mundo.

No entanto, a mudança de comportamento de alguns humanos, que possibilitaram a volta da Deusa e os fortalecimentos dos movimentos ecológicos, fez com que alguns Dragões se disputassem a se aproximar da humanidade novamente, desde que a iniciativa partisse de nós.
Como habitam um plano que consideramos astral, os Dragões podem assumir qualquer forma e tamanho que desejam, mas costumam assumir a forma humana para se comunicar melhor com o homem.
Desde a aurora dos tempos, os Dragões são atraídos pela magia, pois é por meio dela que essas criaturas criam vida nesta dimensão. É por isso que os praticantes de Magia podem entrar em contato com os Dragões.
Os Dragões são seres sábios e poderosos, que possuem um código de ética extremamente rígido e elevam muito a sério os compromissos que assumem ou que são assumidos com eles. Costumam reagir com extrema violência quando sentem que foram usados ou traídos de alguma maneira. A prática da Magia dos Dragões, portanto, exige disciplina, comportamento ético em todas as áreas da vida, respeito pelo livre-arbítrio de outros seres e respeito e reverência pela vida e pelos compromissos assumidos.

O que é necessário para se praticar a Magia dos Dragões?

Antes de qualquer outra coisa, é preciso saber por que você quer praticar esse tipo de magia. Se sua motivação básica é o respeito e o amor pelos Dragões e pela magia, vá em frente. Mas, se seu objetivo é ganhar poder para impressionar os outros, desista enquanto é tempo. Quando um
Dragão se apresentar, criem um laço de amizade, amor e respeito mútuo com ele (ou ela). Passe algum tempo apenas estreitando esse laços. Convide-o a participar dos seus rituais, para que ele comece a fazer parte da sua vida mágica.
Se suas motivações forem dignas e seu desejo sincero, comece a aprofundar seu conhecimento e sua conexão com os elementos. Compre estatuetas e jóias de dragões, uma vez que eles são atraídos por pessoas que gostem deles e exibem com orgulho esse amor.
Quando sentir que sua conexão com ele está firme e plena, é hora de dar o passo seguinte. Peça a ele que o ajude a encontrar os instrumentos mágicos que você usará na prática da Magia dos Dragões.
Há quem acredite que a amizade com um Dragão é para sempre. Não apenas para esta vida, mas para todas as futuras, por toda a eternidade e além. Por isso, pense muito bem antes de se decidir a trabalhar com eles. Os Dragões já se decepcionaram uma vez com os seres humanos. Não vamos deixar que isso aconteça outra vez.

Fonte: site Portal a&e e http://magicabelhuda.blogspot.com

domingo, 23 de maio de 2010

Ritual Cônico das Vassouras - Pedro Guardião

O formato de um cone é de base circular e termina em ponta. Em magia, é um acessório de grande poder, pois canaliza energias universais. Este é o motivo do chapéu de bruxo(a) ser um cone, ele canaliza a energia da magia em que o Bruxo esta focando em seu ritual.
Existe um ritual muito forte chamado "O Cone do Poder", que é milenar e usado para banir perigos. Mas como é longo, exige muito poder e força, se torna cansativo e as vezes perigoso.
Para substituí-lo sem perder seu valor mágico, os Bruxos com o passar do tempo elaboraram um outro que surte o mesmo efeito e é bem mais simples. Vamos aprender!
É interessante usar os materiais em número ímpar. Então você vai precisar de:

· Vassouras de Bruxa (já consagradas) (3, 5, 7…), e podem ser só suas, ou juntando de amigos(a) bruxos(a).
· Um caldeirão (este pode ser único).
· Incensos e ervas.
· Um cristal.

Monte da seguinte forma:

Junte as pontas das vassouras, deixando distância entre elas na base. Amarre as pontas com uma fita ou corda. No centro coloque o Cristal (energizado com antecedência).
Ao redor das vassouras, coloque um incenso na direção de cada vassoura, formando um círculo ainda maior. E do lado deixe as ervas em fácil acesso, e o caldeirão, ambos próximos das vassouras.
O ritual consiste em você andar em círculo sentido horário, dizendo encantamentos ou orações a seu critério, com os incensos acesos e fogo dentro do caldeirão.
E a cada volta, você joga um punhado de ervas no caldeirão e afirma seu desejo. Dê quantas voltas você desejar, e na hora que estiver satisfeito, sente-se e reflita seu desejo até queimar os incensos.
Faça sozinho(a), ou com amigos bruxos, e não importa se seus pedidos forem diferentes. O que importa, é a energia no mesmo intuito.


Ritual pesquisado e adaptado do site Magia Zen, por mim conferido.

domingo, 16 de maio de 2010

Seres mágicos das Florestas - Pedro Guardião

ELFOS
São encontrados nos bosques, nas algas de beira mar e nas gramas. Costumam ser mau-humorados, principalmente quando as pessoas causam algum mal ao ambiente que estão protegendo, portanto pise na grama com cuidado, não arranque musgos e líquens. Se você encontrar um cogumelo, provavelmente um Elfo o terá plantado.

DUENDES
Estão nas florestas e nos jardins, e são os protetores do reino vegetal. São tidos como brincalhões, jogam coisas para o alto e gostam de pregar peças nos humanos escondendo seus objetos. Se você se perder num bosque, ah! foi um duende que te enganou, prometa-lhe um presente (uma fruta, uma pedra, um anel, etc.) e encontrará o caminho. Atenção não se esqueça de cumprir com o que prometeu, senão ele ficará zangado.

DRÍADES
Esses elementais moram nas árvores, são seres muito idosos e zangados, principalmente com quem maltrata as árvores, suas protegidas. Não gostam de lenhadores, se você precisar cortar uma árvore na floresta, peça licença aos Dríades, prometendo plantar uma muda nova, para cada árvore que cortar, assim estará fazendo as pazes com eles, mas cumpra com o que prometeu, senão ele mandará uma praga de cupins para sua casa.

FADAS
São elementais femininos que fertilizam as plantas e protegem as flores e animais, (com exceção dos coelhos, que costumam colocá-las em situações embaraçosas). Durante a época em que as sementes estão germinando, as fadas cuidam da nova planta com todo carinho, então elas cantam e dançam, e nessa época, podem ser vistas com muita frequência. Para entrar em contato com as fadas, distribua plantas e flores por toda a casa e fique atento, quando menos esperar, elas se manifestarão para você.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

A Corda da Bruxa - Pedro Guardião

Esta é mais uma das ferramentas da Bruxa ou Bruxo, a diferença é que não se pode comprar, é preciso confeccionar.
Você pode usar barbantes coloridos para ficar mais fina, ou aumentar a espessura conforme sua escolha na hora da compra, o importante é achar na cor desejada.

É uma corda feita de preferência em Lua Crescente ou Cheia com 3 cores, cada uma relacionada a um pedido ou a um significado de cor que queira que acompanhe suas magias.
Nela também são confeccionados símbolos e costurados objetos que simbolizem seus desejos ou que lhe auxiliem em rituais.
Você vai usar esta corda tanto para magia de futuros desejos, quanto para energizar suas magias deixando sempre por perto.
Samhaim é o Ano Novo das bruxas e é tradicional fazer planos para um novo ano que se inicia e por isso, muito apropriado para traçar sua corda de bruxa. Veja o simbolismo básico das cores:


Branco: Harmonia.
Vermelho: Afastar inimigos, vencer obstáculos, atrair coragem.
Laranja: Atrair sucesso e prosperidade.
Rosa: Atrair amor.
Preto: Proteção e afastar a má sorte.
Verde: Abundância.
Amarelo: Atrair saúde e ter sorte no comércio.

A corda tem o tamanho relacionado à sua altura (quando cortar as tiras), pois é muito pessoal, e enquanto vai trançando a corda ela diminui o comprimento e vai fixando sua energia nela. Em seguida, você pode consagrar num ritual bonito e pendurar em um lugar visível da casa ou altar, para que você sempre lembre das energias boas toda vez que a ver.
Em magias, durante o ritual, faça nós leves com seus pedidos, e deixe com os nós até acontecer o que pediu, e nunca revele a ninguém seus pedidos.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

As Tradições Wiccanas - Pedro Guardião

“Tradição” é um método específico de ação, atitude ou ensinamentos que são passados de geração para geração. Na Wicca, a palavra tem um significado um pouco diferente: uma tradição é um conjunto específico de rituais, ética e instrumentos. Resumindo, uma tradição é um subgrupo específico dentro da religião.
Como sabemos, há várias tradições para seguir. Existe uma ramificação extensa delas dentro da bruxaria, e nem sempre todo bruxo as conhece por inteiro.
Então vejamos todas existentes:

ALEXANDRINA - Fundada na Inglaterra nos anos 60, por Alex Sanders. Esta Tradição é quase uma “dissidência” da Gardneriana.

BRUXARIA CERIMONIAL - Como o nome já diz, é baseada na Magia Cerimonial, com um toque de magia egípcia e magia cabalística.

BRUXAS HEREDITÁRIAS - São as Bruxas que tem uma ascendência pagã (mãe, tia, avó, etc) e que foram ensinadas “diretamente” por elas. Mensagens psíquicas, sonhos, etc, não contam. Mas algumas Tradições Familiares “adotam” pessoas de fora, em sua dinastia.

BRUXARIA PICTA - Bruxaria escocesa. É uma forma solitária da Arte, basicamente mágica e com poucos elementos religiosos.

BRUXAS SOLITÁRIAS - As Bruxas que praticam a Arte solitariamente, independente da Tradição que seguem, são chamadas de Solitárias. Existem diversos tipos de Bruxas Solitárias: algumas foram Iniciadas em Covens e decidiram desligar-se e continuar sozinhas o caminho. Também pode ser uma Bruxa que não quer ligar-se à nenhum Coven estruturado, mas escolhe uma Tradição e a segue através dos ensinamentos de outra Bruxa. E, finalmente, existe a Bruxa Solitária que decidiu estudar sozinha, através de livros e do intercâmbio de experiências com outras Bruxas de diferentes Tradições.

CALEDÔNIA - De origem Escocesa, era conhecida antigamente como Tradição Hecatina.

ECLETISMO - Indica que a Bruxa não segue nenhuma das Tradições em particular. Ela estuda diversos sistemas mágicos e Tradições e aplica, para si, aqueles que se adaptam melhor à sua realidade.

GARDNERIANA - Organizada por Gerald Gardner, na Inglaterra, nos anos 50. Gardner foi uma das poucas pessoas, em sua época, determinadas a não deixar morrer a Antiga Religião, e assumiu o risco de divulgá-la na mídia. É uma Tradição que apresenta práticas cerimoniais e rituais mais estruturadas e complexas.


SEAX-WICCA - Fundada por Raymond Buckland em 1973. Apesar de ter influência Saxã, foi criada por Buckland sem que ele se desligasse totalmente da Tradição Gardneriana.

STREGA - Segue os princípios de uma Tradição iniciada na Itália, em 1353.

TEUTÔNICA - Também é conhecida como Tradição Nórdica.

TRADIÇÃO DIÂNICA - Esta Tradição é centrada principalmente na Deusa e é basicamente feminista.

TRADICIONAL INGLESA - Uma combinação das crenças Celtas e Gardnerianas.

WICCA CELTA - Utiliza o panteão Druídico/Celta, mesclado com alguns rituais Gardnerianos.

WICCA SATÂNICA - Ninguém pode ser uma “bruxa” e “satânica” ao mesmo tempo, porque as Bruxas não acreditam em “satã”. Se você ouvir este termo, pode ter certeza de que trata-se de um destes charlatões que a gente encontra por aí aos montes!

Fonte: Adaptado do site Magia Zen.

Vídeos Wicca & Bruxaria

Loading...