quinta-feira, 25 de junho de 2009

Conhecendo os Chakras - Pedro Guardião

Os Chakras, são pontos de energias que temos envolvido com a nossa aura. São pontos ou vórtices de luz, que estão em linha reta em nosso corpo, começando do alto da cabeça, até nosso órgão sexual. Eles precisam sempre ser saudáveis, e estarem em equilíbrio, para nosso corpo e mente também responderem assim. Com isso, podemos perceber uma série de coisas: ataques, doenças, infelicidade; e também: felicidade, saúde, harmonia, paz e uma infinidade de outras coisas.
Quando detectamos se os chakras estão em desarmonia é quando nossa aura começa a escurecer, e nós começamos a nos desanimar para as coisas do dia-a-dia. E como mudar isso? Conhecendo um pouco de cada um e podemos fazer nossas aplicações neles. Como harmonizar com a varinha mágica, equilibrá-los com cristais. Veja só a ordem dos chakras de cima para baixo. Mas você pode segui-los também, debaixo para cima, como costumam observar:

Os Vórtices de Energia

Chakra Coronário: O chakra da coroa se encontra no alto da cabeça, bem no centro. É nele em que recebemos energia, e trabalhamos com nossos mentores e conexões superiores. A radiação de energia desse ponto irradia todo o corpo quando está em equilíbrio e saudável. Quando em desequilíbrio, traz desarmonia, depressão e bloqueio.

Chakra do Terceiro Olho: Conhecido também como chakra frontal, esse ponto fica entre os olhos, no meio da testa. Ligado a boa memória, a vidência e boa visão, gera boa imaginação e atributos a Artes cênicas. Em equilíbrio, dá todas as coisas e intuição. Quando em desequilíbrio, traz dores de cabeça, e falta de concentração.

Chakra Laríngeo: Este vórtice está localizado no meio da garganta. É responsável pela fala e atitudes ligada a voz, como pelo poder da verbalização e expressão de verdades.Quando em equilíbrio, dá boa expressão e comunicação. Quando em desequilíbrio, dificuldades de expressão, perda de voz.

Chakra Cardíaco: Está localizado no meio do peito. É o chakra do amor incondicional. Por isso quando sofremos uma decepção, nosso coração dói, mas na verdade quem está apertado, é este vórtice muito perto do coração. Quando em equilíbrio, oferece tolerância, paciência e compaixão. Quando em desequilíbrio, dores no peito, problemas cardíacos e raiva.

Chakra Plexo Solar: Localizado mais ou menos perto do umbigo. Ligado ao ego emocional, e trabalho com esta energia. Quando em equilíbrio, dá força de vontade, poder pessoal e determinação. Quando em desequilíbrio, falta de vontade, má digestão e enjôos.

Chakra Esplênico: Este vórtice se localiza entre o umbigo e o órgão sexual. Estimula amor pelas coisas naturais e pela terra. Ligado à adrenalina. Quando em equilíbrio, proporciona prazer, atividade sexual feminina, e desejo. Quando em desequilíbrio, problemas na coluna e na uretra.

Chakra Raiz: Também conhecido como chakra base, que fica um pouquinho acima dos órgãos reprodutores, dá ligação com o solo, natureza e mundo exterior. Quando em equilíbrio, traz ligação com a terra e vitalidade. Quando em desequilíbrio, dá pânico, medo e insegurança.

sábado, 20 de junho de 2009

O Sabbat de Yule - Pedro Guardião

Roda Norte: 21 de Dezembro.
Roda Sul: 21 de Junho.

Este festival celebra a noite mais longa do ano no hemisfério Norte. Depois deste dia, os dias começam ficar mais longos, e as noites, mais curtas. Uma tradição deste festejo é enfeitar pinheiros, comer nozes, bolos e frutas. É também entendido como o renascimento do Sol, e a data cristã, O Natal, utilizam os costumes desta data até hoje.
Nesse Sabbat os Bruxos dão adeus à Grande Mãe e bendizem o Deus renascido que governa a "metade escura do ano".
Nos tempos antigos, o Solstício do Inverno correspondia à Saturnália romana (17 a 24 de dezembro), a ritos de fertilidade pagãos e a vários ritos de adoração ao sol.
Os costumes modernos que estão associados ao dia cristão do Natal, como a decoração da árvore, o ato de pendurar o visco e o azevinho, queimar a acha de Natal, são belos costumes pagãos que datam da era pré-cristã.
(O Natal, que acontece alguns dias após o Solstício de Inverno e que celebra o nascimento espiritual de Jesus Cristo, é realmente a versão cristianizada da antiga festa pagã da época do Natal).
A tradição relativamente moderna de decorar árvores de Natal é costume que se desenvolveu dos bosques de pinheiro associados à Grande Deusa Mãe. As luzes e os enfeites pendurados na árvore como decoração são, na verdade, símbolos do sol, da lua e das estrelas, como aparecem na árvore Cósmica da Vida. Representam também as almas que já partiram e que são lembradas no final do ano.
Os presentes sagrados (que evoluíram para os atuais presentes de Natal) eram também pendurados na árvore como oferendas a várias deidades, como Attis e Dionísio.
Diz-se que a cidra era um substituto do sangue humano ou animal oferecido nos tempos primitivos como parte de um rito de fertilidade do Solstício do Inverno. Após oferecer um brinde à mais saudável das macieiras e agradecer a ela por produzir frutos, os fazendeiros ordenavam às árvores que continuassem a produzir abundantemente.

Os alimentos pagãos tradicionais do Sabath do Solstício do Inverno são o peru assado, nozes, bolos de fruta, bolos redondos de alcaravia, gemada e vinho quente com especiarias.

Incensos: louro, cedro, pinho e alecrim.
Cores das velas: dourada, verde, vermelha, branca.
Pedras preciosas sagradas: olho-de-gato e rubi.
Ervas ritualísticas tradicionais: louro, fruto do loureiro, cardo santo, cedro, camomila, sempre-viva, olíbano, azevinho, junípero, visco, musgo, carvalho, pinhas, alecrim e sálvia.

fonte de pesquisa: circulosagrado: http://www.circulosagrado.com/cs/celebracoes/yule.php

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Wicca e Proteção - Pedro Guardião

Falando um pouco de magia, a editora Minuano faz um trabalho bem bacana com revistas de vários tipos e gostos. De revista sobre artesanato à revista de religião. Mas o que tem a ver com magia? Tudo!
A revista chamada coleção natureza mágica - Wicca faz um trabalho bastante legal e informativo para os leitores bruxos ou simpatizante da religião.
Nela, você encontra informações da religião, sabbats, rituais e matérias especiais, e de confiança.
Você encontra em qualquer banca de revistas e o preço é acessível para todos.

E tive o privilégio em poder colaborar com essa revista, que vem crescendo aos poucos.
Escrevi uma matéria especial sobre "a proteção contra os inimigos invisíveis", na edição nº 06, que por sinal, você encontra no site:
http://www.edminuano.com.br/
Eu, um pouco avoado, esqueci de postar pra vocês que podem encontrar, mas a edição nº 07 já saiu. Se não encontrar nas bancas, se tiver interesse, o jeito é pedir pela editora, ou site.

Pra quem comprou, espero que tenham gostado, foi muito legal poder colaborar. Pra quem vai comprar, poderá ter um bom proveito das informações adquiridas. E espero poder colaborar mais vezes, e dessa vez serei mais ligeiro e aviso a vocês com antecedência.
E pra quem não pôde comprar, um breve trexo da matéria pra matar a curiosidade. Mas na revista, você encontra, feitiços, rituais e muito mais.


Valeu!

A Proteção contra os inimigos invisíveis
"A proteção é muito importante para nos sentirmos seguros. Vivermos seguros, saudáveis e em harmonia é conseqüência da proteção.
O Mundo invisível é muito grande e extenso para conhecermos por inteiro, mas o que devemos saber é que nele vivem entidades tanto boas, quanto ruins. As boas se manifestam em belezas, em harmonia, seja em um local ou em uma pessoa. As ruins se manifestam da mesma forma, só que em desequilíbrio, feiúra e desarmonia. Uma pessoa sadia, bonita e alegre, tem uma ligação positiva, e isso traz positividade para vida dela. Mas se uma pessoa, se sentir fraca e desconfortável em qualquer lugar que esteja, está sendo atrapalhada por más vibrações.
As forças do astral são superiores, o que as torna invisíveis. Mas fique ligado, porque nem sempre podemos ver, mas sempre podemos sentir. Essas sensações de que estamos toda hora “ruins”, são formas de ataque espiritual. Aí você me pergunta: “O que é um ataque espiritual?”. São quando entidades, espíritos e até pessoas fazem mal a você, através de magias e feitiços pra atrapalhar sua vida. Pessoas desligadas, ou sem fé, logo acham que é doença física do corpo, mas nem sempre remédios farmacêuticos, podem curar esse Mal..."

quarta-feira, 10 de junho de 2009

A Deusa Selene - Pedro Guardião

Selene é a Deusa grega da Lua, era filha de Hipérion e Tea, tendo como irmãos, a Deusa Eos, e o Deus Hélius. Um de seus melhores mitos sabidos envolve um simples, mas belo pastor, cujo nome era Endymion. A Deusa da lua se apaixonou por este mortal, um caso que, conseqüentemente resultou no nascimento de cinqüenta filhas. Mas Endymion era, aliás, ser humano, e assim suscetível ao envelhecimento e eventualmente à morte. Selene não podia carregar o pensamento deste fato cruel. Então, assegurando que Endymion permanecesse eternamente jovem, fez com que o belo jovem dormisse para sempre. Desta maneira, Endymion viveria sempre, dormindo com a mesma aparente idade.
Selene é muito associada á Artemis, ou Hécate, mas vale lembrar, que esta deusa representa todas as fases da Lua, e é a pura personificaçao deste astro sendo seu nome romano Lua ou Luna.
Tradicionalmente ela é celebrada no dia 7 de fevereiro.


Ervas especificas da egrégora de Selene:

* Áster – Todas às Deusas e Deuses pagãos.
* Lunária - Associada à Deusas da Lua (Selene).
* Anis estrelado –
Erva da magia.

terça-feira, 2 de junho de 2009

A Deusa Ártemis - Pedro Guardião

Ártemis usava o arco tão bem quanto Apolo e era capaz de provocar, com suas flechas, a morte súbita nas mulheres. Eternamente virgem, seu único prazer era a caça; vivia sozinha nos bosques com as ninfas e os animais selvagens. Na maioria das lendas de que participa, como por exemplo a de Níobe, a do Javali de Cálidon e a de Ifigênia, aparece como uma deusa suscetível e vingativa. Preservava também ciosamente sua intimidade e a castidade das ninfas que a seguiam, como fica evidente pelas lendas de Órion, Actéon e Calisto. Órion, filho de Posídon, era um gigantesco caçador que se apaixonara por uma das ninfas - ou pela própria deusa, conforme a versão - e morreu devido à mordida de um escorpião enviado por Ártemis. Em uma variante da lenda, Órion perseguiu as Plêiades e, assim como elas, acabou transformado em constelação. Actéon era filho de Aristeu e de Autônoe e, portanto, neto de Apolo e sobrinho-neto de Ártemis. Ao caçar na floresta, Actéon viu acidentalmente Ártemis em seu banho. A deusa o transformou imediatamente em veado e atiçou seus próprios cães contra ele. Os animais, incapazes de reconhecer o dono, atacaram e devoraram o azarado caçador.
Calisto era uma ninfa que acompanhava a deusa pelos bosques e por quem Zeus se apaixonara. Como ela fugia de todos os homens, a exemplo de Ártemis, Zeus se aproximou dela na forma da própria Ártemis, e conseguiu seduzí-la. Quando a deusa percebeu a gravidez de Calisto, expulsou-a de sua
companhia e, mais tarde, transformou-a em ursa.

A sua Origem:

Ártemis é citada nas tabuinhas micênicas em Linear B (Pilos, séc. -XIII) e, com o tempo, incorporou os atributos de diversas divindades muito antigas, provavelmente pré-gregas, como Selene, a deusa da lua; Hécate; Ilítia; e Ortia, uma deusa do nascimento cultuada na Lacônia. Por ser também uma deusa da caça, é possível até que tenha sido adorada nessa forma durante o Paleolítico, época em que a caça esteve no apogeu. As relações com a deusa-mãe da Ásia Menor, "senhora dos animais", e com as deusas minóicas são evidentes e igualmente muito antigas. Sua helenização, portanto, não foi completa - na Ilíada, por exemplo, Homero se refere a ela como senhora dos animais. É interessante notar que mais tarde, durante o Período Arcaico, o culto à deusa Cibele (uma "senhora dos animais" de origem puramente anatólica) se tornou muito popular em toda a Grécia, paralelamente ao culto de Ártemis.

Ervas especificas da egrégora de Artemís:

* Absinto – Erva de Ártemis, Diana e Grande Mãe.
* Agripalma – Várias figuras da Grande Deusa.
* Artemísia Vermelha – Ártemis e Diana, erva ou flor própria.
* Jacinto – Ártemis e Apolo.
* Jasmim – Exclusiva de Ártemis e Diana.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

A Deusa Hécate - Pedro Guardião

Hécate é uma Deusa que tem inúmeros atributos e provavelmente seja a Deusa menos compreendida da mitologia grega. Ela não reina apenas sobrea bruxaria, a morte, mas também sobre o nascimento, o renascimento e arenovação. Ela era evocada pelos gregos para protegê-los dos perigos e das maldições. Para uns era filha de Perseu e Asteria e mãe de Scyylla, para outros era filha de Nyx, à noite. Alguns historiadores dizem que ela era apenas um das Fúrias e que ganhou proeminência com o tempo.
Historicamente, Hécate é uma Deusa que se originou nos mitos dos antigos karianos, no sudoeste da Asia menor, e foi assimilada na religião grega a partir do século 6 a.C.Hekat, uma antiga palavra egípcia que significa "Todo o poder",e que pode ser a origem do nome Hécate. Entre os romanos era chamada de Trívia, em virtude de sua conexão com as encruzilhadas tríplices. Outra possibilidade para o significado de seu nome esta nas relações das frases: "Ela que trabalha seu desejo" e o mais comum seria "Aquela que é distante'' ou "A mais brilhante"!
Hécate foi adotada pela mitologia Olímpica após os Titãs serem derrotados, e seu culto perdurou entre os gregos até tempos tardios. Era considerada tão importante que os gregos acreditavam que o próprio Zeus lhe rendia culto e oferendas e teria-lhe concedido o direito de compartilhar com Ele o poder de conceder ou reter os desejos dos humanos e os domínios da Terra, céus e
mares. Existiram pouquíssimos Templos dedicados a Hécate e os poucos que foram encontrados são de escassa informação ou não totalmente documentados.
Muitos dos Santuários devotados a Ela eram pequenos e não tinham grandes ou preciosos materiais. Existem estátuas que a representam, mas são quase todas copias romanas e é difícil saber o quão fiéis elas sejam das originais.Considerada uma Deusa Tríplice, classicamente fazia uma trindade com Perséfone e Deméter. Ao contrário da visão moderna pagã, Hécate era considerada a donzela, enquanto Perséfone era a mãe e Deméter a anciã.
Era a padroeira das Bruxas e em alguns lugares da Tessália, cultuada por grupos exclusivos de
mulheres sob a luz da Lua. A Deusa possui inúmeros títulos. Como Propylaia, que significa: "Aquela que fica na frente do portão", Hécate oferecia proteção contra o mal,especificamente contra espíritos malígnos e maldições. Neste aspecto, seu culto era realizado nos portões de entrada, onde estátuas eram colocadas em sua homenagem.

Ervas especificas da egrégora de Hécate:

* Abrunheiro – Erva consagrada à Deusa tríplice em seu aspecto protetor.
* Alho – Deusa Hécate.
* Azaléia – As faces de Hécate.
* Lavanda – Hécate e Saturno
* Mandrágora – Deusas Hécate, Diana e Ártemis.
* Vilmeiro – Exclusiva erva de Hécate.

Vídeos Wicca & Bruxaria

Loading...