domingo, 31 de dezembro de 2017

2018 – O ano regido por Júpiter

Antes tarde do que nunca, trago para vocês algumas dicas e as principais configurações de 2018, para adentrar o novo ano civil com as melhores influências e consequentemente, para um ano mais produtivo possível. Astrologicamente, 2018 será regido por Júpiter, o maior planeta do sistema solar, o Rei dos Deuses do panteão Romano, que por características traz a expansão, os ganhos, relacionamentos sociais e políticos, justiça e julgamentos. O conhecimento deve abranger o mundo de forma mais equilibrada, o que favorecerá debates e acordos sem precedentes.
No entanto, não devemos nos iludir, já que o planeta desperta, paradoxalmente, o aumento do egoísmo, do materialismo e da competição entre os seres. Ou seja, é preciso tomar cuidado para não se deixar atrair por estes lados menos nobres da energia deste planeta. Cuidado com os exageros, as hipervalorizações, os excessos, principalmente no que diz respeito a relacionamentos e dinheiro. Gastos descontrolados e triângulos amorosos podem ocorrer nesta regência. Contenha seus impulsos, que deverão ser extremos neste ano regido por Júpiter.
No tarot, a soma (2+0+1+8) nos traz o arcano A Força (11), um símbolo clássico do domínio dos instintos, já que o leão representa a nossa parte nunca antes mapeada e, portanto, não domesticada da alma. Muito favorável para deixar os medos de lado e arriscar um pouco mais. Virtude, coragem, autodisciplina e controle são palavras-chaves que esta carta regente nos traz. Alguns tarólogos ainda afirmam que o arcano do ano será A Papisa, pela soma (1+1=2). Ela nos fala sobre silêncio, ocultação, forças enigmáticas, poder feminino, traições e paciência. Então, se fizer a análise das duas cartas e seus arquétipos, construir, arriscar, domar, deve sempre ser feito em segredo para nada sair do controle. Nada de ficar falando sobre seus projetos para outras pessoas. Às vezes nem é por mal, mas uma vez que alguém se incomoda com suas ações, as chances delas não darem certo, aumentam.
No panteão africano, o regente será Xangô, sob a influência de Obaluaê, que é o Orixá do ciclo de Saturno. Um ano de Xangô é ideal para realizações. Tudo aquilo que foi construído nos últimos tempos vai ser colhido. Entretanto, Xangô é o Orixá da justiça. Ele é justo e, se você vem plantando o bem, colherá coisas maravilhosas em 2018. Mas, essa justiça poderá ser cruel com você que não tem feito coisas boas. Ele castiga os mentirosos, trapaceiros, ladrões e todos aqueles que querem tirar vantagens dos outros.
No novo ano, a famosa lei do retorno estará em evidência. As pessoas que emanam boas energias vão viver um período muito bom, colhendo aquilo que enviou ao Universo. Xangô é um Orixá justo e imparcial, e será impiedoso com aqueles que promovem traição e injustiça.
Agora que falamos de algumas influências gerais, vamos colocar a mão na massa. Feitiços, magias e rituais para dar uma guinada em seu 2018.
Varredura
No último dia do ano, faça no chão um círculo (utilize carvão) com mais ou menos 1,5 m de diâmetro. Em seguida, entre no círculo e com uma vassoura varra de dentro para fora tudo o que você não deseja mais: mágoa, tristeza, inimizades, inveja, desavenças. Respire fundo e saia do círculo lentamente. Lave a vassoura em água corrente. Acenda uma vela branca no centro do círculo e deixe-a queimar até o fim para que a chama ilumine seu caminho.
Ritual de Prosperidade com Moedas
Separe onze moedas douradas que estejam em circulação, unte cada uma com óleo aromático de canela e deposite-as em um saquinho amarelo. Medite então à Deusa Fortuna pedindo prosperidade material e espiritual. Leve o saquinho com você durante todo o dia. Ao amanhecer dê estas moedas a alguém realmente necessitado.
Pó do Dinheiro
Você vai precisar de:

3 Velas verdes
1 prato de porcelana ou gesso
1 punhado de açúcar
1 punhado de canela em pó
Uma pitada de fermento em pó
Algumas pétalas de flores amarelas
1 incenso de canela
1 imagem para representar a prosperidade

Faça um triangulo com as velas verdes. Coloque o prato no meio do triangulo das 3 velas e faça um circulo de pétalas em volta do triangulo de velas com o prato no centro.
Acenda as velas e o incenso. Faça uma oração e invocação aos espíritos de Júpiter.
A imagem que representará a prosperidade, coloque sobre o prato. (A imagem pode ser algum sigilo,
símbolo da cornucópia, cifrão, baú de moedas douradas, um pantáculo de júpiter, etc.
Pegue o punhado de açúcar e coloque no prato (em cima da imagem) dizendo: “Com esse açúcar, adoço minha vida”.
Pegue o punhado de canela, coloque no prato (em cima da imagem e do açúcar) e diga: “Com essa canela, chamo o sucesso e a prosperidade”.
Pegue a pitada de fermento em pó, coloque no prato (em cima da imagem e da canela) e diga: “Com esse pó de fermento, cresce tudo que tocar, o que agora quero encantar!”. Depois disto, misture os pós e deixe lá até as velas e o incenso queimarem.

Depois está pronto! É só usar em pequenas pitadas no chá, bolos e doces. Salpique também na carteira e na bolsa.


Magia da Conquista
- Mel
- Uma maçã
- Uma rosa vermelha
- Um pratinho de papelão
- Uma vela cor de rosa
- Dois pedaços de fita cor de rosa com mais ou menos 30 cm cada
- Um lenço branco
- Fósforo

Você pode realizar este feitiço do amor em um dia qualquer à sua escolha, preferencialmente às seis horas da manhã ou às seis horas da tarde. Além dos ingredientes já citados, você deverá escrever à mão em uma folha de papel branca a letra da sua música de amor favorita.
Pegue a rosa vermelha e tire dela duas pétalas, e escreva a lápis o seu nome em uma e o nome da pessoa que você quer conquistar na outra.
Corte a maçã ao meio e retire as sementes com uma colher, formando uma pequena cavidade no interior da fruta. Preencha este espaço com o mel e as duas pétalas de rosa, e em seguida refaça a maçã juntando suas duas metades e as amarrando firme com um dos pedaços de fita cor de rosa.
Coloque a letra da música dobrada no pratinho de papelão, e sobre ela a maçã. Acenda a vela cor de rosa e coloque-a junto ao pratinho, e então dance e cante a letra da música pensando na pessoa que você quer conquistar e imaginando um encontro entre vocês dois.
Quando terminar, apague a vela falando o nome da pessoa e junte tudo dentro do lenço branco, amarrando com o outro pedaço de fita rosa e formando uma espécie de trouxinha, e a coloque em um belo jardim ou em uma bela praia. Leve a rosa vermelha da qual você tirou duas pétalas para casa e guarde-a próxima da sua cama.
- Pedro Guardião
Fontes:

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Almanaque Wicca 2018 – Editora Pensamento

O Guia de Magia e Espiritualidade, conhecido como Almanaque Wicca, da Editora Pensamento, já se encontra nas bancas. Confesso que esse ano comprei apenas como item de coleção, pois ano a ano o livreto parece estar cada vez menos interessante. Não sei se é apenas uma impressão pessoal, ou se outras pessoas têm sentido o mesmo – caso sim, comente neste post colocando o motivo – mas o conteúdo precisa ser renovado.

Nesta edição, a maioria das matérias (95%) são passagens extraídas de livros esotéricos estrangeiros ou da própria editora, não necessariamente de Wicca. Alguns até interessantes, mas sem uma ligação com a religião em si. Há também colaboradores nacionais, como Naelyan Wyvern e Eddie Van Feu. O calendário, já conhecido, é um bom quebra-galho para as fases da lua e seus signos, e uma informação interessante deste ano é que teremos duas Luas Azuis – 31 de janeiro e 31 de março.
As matérias mais interessantes, ao meu ver, são:
- Magia de Proteção na Cidade (pag 1).
- A Cerimônia do Casamento Pagão (pag 90).
- Ritual com Morrígan para Recuperação do Poder Pessoal (pag 94).
- O Despertar das Mulheres para a Deusa (pag 98).
- Faça Mágica com o seu Dinheiro (pag 128).

Para finalizar, deixo para vocês uma prece para a prosperidade, encontrada no livro:
Lakshimi, que repousa sobre um lótus
deusa hindu da abundância e da beleza
eu rezo a ti esta noite (dia) e peço o teu auxílio
por favor abençoe a minha família com sorte e prosperidade
Lakshimi, obrigado
”.
Para comprar o Almanaque Wicca, acesse: https://www.saraiva.com.br/almanaque-wicca-2018-guia-de-magia-e-espiritualidade-9864275.html

Pedro Guardião

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Resenha – Pelo Cálice e Pela Lâmina

Adquiri o livro ‘Pelo Cálice e Pela Lâmina’ na 11ª CWED (Conferência de Wicca e Espiritualidade da Deusa), nos dias 2 a 3 de junho de 2016, com a vinda de vários membros do Corpo Sacerdotal da Tradição Alexandrina, linha de Boston, ao Brasil. O evento presenteou os participantes com uma exposição de fotos inéditas de Alex e Maxine Sanders, artefatos sagrados dos próprios fundadores, além de palestras introdutórias sobre a T.A. Foi emocionante conhecer de perto Maxine Sanders, a história viva da Wicca.

De volta ao que interessa, este não é um livro para quem busca rituais, forma de lançar o círculo, práticas, invocações, nem nada do gênero. É uma verdadeira contemplação da essência da tradição, das experiências do autor, da origem, da iniciação, do treinamento, das regras e torna-se precioso para os seekers (buscadores) da Wicca Tradicional.

Foi escrito por Karagan Griffth, Sumo Sacerdote da tradição, e publicada pela Logios Projects (http://www.logiosprojects.com), com 140 páginas e oito capítulos. Dentre eles estão:

- Debaixo da Cerejeira – Iniciação na Tradição Alexadrina da Witchcraft
- O Ankh e a Rosa – As origens da Tradição Alexandrina da Witchcraft
- A Luz do Templo – Sacerdotes e Sacerdotisas
- A Dança dos Feiticeiros – O Coven na Tradição Alexandrina da Witchcraft
- Forças Misteriosas – O Poder e a Magia na Tradição Alexandrina da Witchcraft
- Pela tua Mão – O Livro das Sombras da Tradição Alexandrina da Witchcraft
- Os Deuses – O Divino na Tradição Alexandrina da Witchcraft
- Para além do círculo – A aplicação da Craft no mundo dos Homens e o futuro da Tradição Alexandrina da Witchcraft

É um apanhado do significado interno da tradição e expõe sua preciosidade aos que podem percebê-la. Muitas pessoas que se denominam “wiccan” no Brasil, já ouviram ou irão ouvir – pelo menos já deveriam - falar das tradições iniciais, Gardneriana e Alexandrina, mas poucas realmente sabem o que significam de verdade. O que temos hoje como Wicca Eclética é bastante diferente do que se faz nos círculos de Bruxaria Tradicional, com algumas semelhanças. E o que se especula sobre elas, talvez seja apenas isso, especulação. Essas tradições são reservadas e somente os iniciados sabem o que fazem, seus deuses, suas práticas, seu livro das sombras, etc.

Karagan vem na contramão demonstrando que a T.A não é um poço de segredos, mas sim uma tradição de valor, princípios e consequentemente, para poucos. Alex mesmo já dizia “Eleve tudo sempre ao mais alto nível”.  Sua ênfase e suas experiências com ela traz um chamado aos que realmente a entendem.

Uma das diferenças que podemos notar é o treinamento, tanto na Tradição Alexandrina quanto na Gardneriana, que acontecem após a iniciação, e não antes dela, como nas demais difundidas no Brasil. O propósito aqui não é dizer como tudo funciona, portanto, se tiver curiosidade de conhecer mais sobre a T.A, acesse o site, em português: http://www.wiccaalexandrina.com/

O livro é excelente, de destaque, e vale a pena estudá-lo com primazia e verdade. O preço é de R$ 81,62, e pode ser encomendado pela Amazon Brasil.

Vídeos Wicca & Bruxaria

Loading...